10
ago

7 dicas para um Marketing de Guerrilha eficiente

No post anterior falamos um pouco sobre o que é e como surgiu o Marketing de Guerrilha. Agora, listamos 7 dicas para você de como não errar na hora de preparar o seu planejamento.

É importante saber que, por ser uma estratégia que impacta as pessoas, os resultados podem ser bons e ruins. Pra isso, é preciso ficar atento para que a ação não tenha um efeito contrário e acabe prejudicando seu negócio, gerando uma reação negativa no público. Vamos ver as dicas a seguir de como fazer um bom Marketing de Guerrilha.

1 – Passe a conhecer muito bem seus clientes

Primeiro passo: conheça as pessoas que serão impactadas pela ação de guerrilha. Isso inclui os seus clientes e pessoas que tem o potencial de se tornar cliente.

Você tomando esse cuidado, já previne que essa campanha acabe virando ao contrário do que você espera por não se encaixar nos valores e interesses do público.

2 – Não fuja das suas origens

Não é preciso seguir uma única forma da hora de fazer o marketing de guerrilha. Para se ter sucesso com ele, é preciso inovação.

Cada campanha tem o seu propósito, certo? Algumas são mais engraçadas, outras focam mais no desafio e na provocação, e algumas tratam até de assuntos muito sérios. O mais importante de tudo isso é não fugir das suas origens! Se o seu segmente permite uma linguagem mais extrovertida, siga esse caminho. Caso contrário, se adapte quando for necessário, a fim de que o resultado continue sendo satisfatório.

3 – Considere novas parcerias

O uso do co-marketing, que nada mais é que ações demarketing divididas entre duas empresas. No maketing de guerrilha, é muito válido a utilização deste serviço.

Um exemplo interessante — além de bastante simples — é a tática de guerrilha que a Microsoft usou ao lançar o seu tablet, chamado Surface, no mercado.

A empresa fez parceria com um lava-rápido de Chicago, para expor em sua parede um graffiti anunciando o novo dispositivo. Mas, qual a grande novidade?

A localização: a loja ficava perto de uma loja da Apple, uma das principais concorrentes, bem à vista de seus clientes.

Isso mostra, que com um simples passo, você pode formar parcerias de sucesso.

4 – Seja original

No marketing de uma forma geral, não dá para só copiar o que já deu certo, é preciso ter originalidade! Não opte pelo o mais óbvio, arrisca em coisas novas.

Os casos de sucesso devem servir como inspiração, mas nunca como modelo. Eles podem ajudar na sua criatividade e na elaboração de ideias legais. Com isso, o possível aprender com que já foi feito por outras empresas, sem correr o risco de ganhar a fama de plagiador.

5 – Capriche na execução

A maioria das campanhas de marketing que dão errado não falha na fase de planejamento, e sim no momento de por em prática tudo que foi pensado.

Para não haver erros, depois de definir a estratégia para atingir e impactar seu público, cuide de cada detalhe do que será preciso para tornar seu planejamento um sucesso.

Caso opte por contar com a ajuda de um ou mais parceiros, não se esquece de se reunir e dividir as tarefas, isso faz com que tudo funcione melhor.

Uma boa forma de organizar cada passo da campanha na prática é por fazer um checklist e segui-lo de perto.

6 – Cuidado com as emoções que provoca

O objetivo das táticas de guerrilha é provocar emoções, mas você precisa saber exatamente que tipo de emoções deseja despertar.

Como já dissemos, há sempre espaço para campanhas sérias e, em alguns casos, até impactante. Mas elas normalmente são feitas assim quando o tema a ser tratado é igualmente sério e urgente.

Se você vai promover um produto, vale a pena apostar em ideias leves e descontraídas, que não causem sensação de choque, raiva ou angústia nas pessoas.

Elas poderiam facilmente associar a sua marca a esses sentimentos ruins e se distanciar dela, em vez de se sentirem atraídos pela ideia proposta.

7 – Avalie os resultados

As ações de guerrilha parecem ser tão espontâneas que se torna até meio difícil imaginar o que fazer para avaliar seus resultados, não é?

Pois saiba que isso não só é possível, como também extremamente importante. Então, como fazer?

Primeiro, use suas ferramentas de monitoramento favoritas para acompanhar a repercussão nas redes sociais.

Esse é um dos ambientes mais importantes para deslanchar uma campanha de guerrilha, pelo imenso poder de “boca a boca” que tem.

Além disso, use as métricas que já avalia na sua empresa, isolando o período da campanha em comparação com o desempenho normal dos últimos meses.

E caso você ainda não avalie nenhuma métrica, a dica é simples: comece o quanto antes!